ANIME ATM: MAHOU SHOUJO ORE – CRÍTICA

MAHOU SHOUJO ORE – As vezes não precisa fazer sentido pra ser bom

Como muitos de vocês sabem, o mundo dos animes é um local vasto em que se pode encontrar uma variedade absurda de gêneros e temas, que por sua vez são desdobrados em diversos modos diferentes de contar histórias.

Dentro do leque extenso de gêneros, pode-se dizer que o gênero de garotas mágicas (Magical Girls, em inglês ou Mahou Shoujo, em japonês) é um dos mais populares. Com animes como Sailor Moon (Toei Animation), Tokyo Mew Mew (Pierrot), Cardcaptor Sakura (Madhouse), entre outros, o gênero de garotas mágicas tem estado presente há anos e, ao contrário do que o nome sugere, não é apenas popular entre garotas. Seja pelas personagens adoráveis ou pelas histórias diferentes, o gênero consegue atrair espectadores de gêneros e faixa etária variados.

Nos últimos anos, entretanto, o gênero de garotas mágicas vem inovando de uma forma um tanto quanto… esquisita, porém fantástica. Essa inovação vem em forma de animes paródia em que as garotas mágicas na verdade são garotos, com direito à mascote fofinho, transformação estilo Sailor Moon e tudo mais que você pode imaginar. Um bom exemplo desse novo gênero de magical boys é o anime lançado pelo estúdio Diomedéa em 2015 chamado Binan Kōkō Chikyū Bōei-bu LOVE! (Cute High Earth Defense Club LOVE!), que segue mais à risca as regras do gênero do que o anime em que falaremos hoje.

Sendo produzido pelo estúdio Pierrot – o mesmo estúdio responsável por grandes animes como Naruto, Yu Yu Hakusho, Bleach e Tokyo Ghoul – e dirigido por Itsuro Kawazaki (Rental Magica, Pokemon Origins), Mahou Shoujo Ore é uma paródia muito bem montada desse gênero tão antigo.

A história de Mahou Shoujo Ore segue as vidas de duas estudantes colegiais e melhores amigas de infância: a extrovertida, barulhenta e de aparência infantil Saki Uno (Ayaka Ohashi/Kaito Ishikawa) e a quieta, introvertida e misteriosa Sakuyo Mikage (Sachika Misawa/Wataru Hatano) em sua jornada para se tornarem idols, contando com a ajuda de seu empresário, o super animado Konami Yamo (Shotaro Morikubo). Saki e Sakuyo não estão tendo muito sucesso em sua jornada, uma vez que nenhuma delas é realmente talentosa, mas elas persistem neste sonho. Um dia, voltando de casa, Saki dá de cara com um homem de aparência mafiosa batendo na porta de sua casa. O homem é Kokoro-chan (Kazuya Ichijo) e ele lhe convida para ser uma garota mágica.

Quando o irmão de Sakuyo, e amor de infância de Saki, Mohiro Mikage (Toshiyuki Toyonaga) é capturado por demônios musculosos com cara de ursinho, Saki usa o poder de seu amor para se transformar em uma garota mágica. Só que, ao contrário do que se espera, a transformação mágica de Saki não a transforma em uma linda garota mágica, mas sim num homem musculoso vestindo um uniforme de garota mágica. Já no episódio seguinte, Sakuya usa seu amor por Saki (amor este que ela explicitamente diz ser sexual) para se transformar em um musculoso garoto mágico também. A partir daí a trama se desenrola com Saki e Sakuyo dividindo suas vidas entre protegerem o mundo como garotas (ou seriam garotos?) mágicas e idols, uma vez que suas versões masculinas ganham fama na TV.

(Não há nada de mágico sobre isso)

Com cenas de luta sangrentas que não cabem no gênero e um uso impróprio de alusões sexuais, Mahou Shoujo Ore não só sai do padrão como faz questão de gritar isso pro mundo. A comédia do anime é escrachada e bem simples de se entender, não exigindo muito do espectador para entender a trama da estória, que se abre facilmente já nos primeiros episódios. Os personagens são cativantes e seguem o padrão cômico típico de animes de comédia, com caras e bocas que levam o espectador a rir pelas besteiras que vê na tela, bastante gritos e, claro, o plus de dois homens grandes e musculosos vestindo tutu e agindo como o estereótipo de animes de uma estudante colegial japonesa.

Em termos de animação, vindo de um estúdio tão grande quanto o Pierrot, não é surpresa que Mahou Shoujo Ore seja bem animado e que as cenas de luta, ainda que exageradas, tenham uma certa fluidez que não incomoda aos olhos. Para aqueles mais sensíveis, vale lembrar de novo que há bastante sangue envolvido em certas cenas, então talvez não seja o anime mais indicado para uma tarde de domingo. Porém, se você é daqueles que não se ofende facilmente e que gosta desse tipo de humor sem travas, fica aqui uma super recomendação.

Mahou Shoujo Ore ainda está em exibição pelos canais de televisão AT-X e Tokyo MX, sendo licenciado e exibido mundialmente pelo Crunchyroll, saindo toda segunda-feira. As informações são de que o anime terá 12 episódios nesta primeira temporada e até a presente data (31/05/2018) não foi confirmada uma segunda temporada.


Sobre o Autor

Irina Duarte
Escritora, professora, amante da cultura asiática e cinéfila nas horas vagas!