artigo

ARTIGO: TOP5 SÉRIES NEGRAS

As séries cada dia conquistam mais telespectadores e são cada vez mais diversas. Alguns críticos de televisão já afirmam que hoje em dia as séries tem conseguido responder aos ensejos da sociedade com muita mais rapidez do que os filmes. Um exemplo é que a palavra do ano, segundo um dicionário dos EUA, foi feminismo e uma das mais importante produção do ano foi The Handmaid’s Tale, série distópica sobre um EUA governado por um regime totalitário que retira todos os direitos das mulheres, que ganhou vários prêmios no Globo de Ouro.

Além das séries feministas, um outro campo de série que vem chamando atenção são aquelas produzidas, dirigidas e de maioria de atores negros. Nesse artigo vamos analisar 5 delas que merecem a nossa atenção pela sua ótima qualidade e por trazerem um novo olhar para a indústria do audiovisual.

1 – QUEEN SUGAR

Em primeiro lugar nessa lista a maravilhosa Queen Sugar. É uma série pouquíssima conhecida aqui no Brasil, não tem no Netflix, mas não é difícil conseguir achar, é um série do canal da Oprah Winfrey, OWN, criada e produzida pela Ava DuVernay, a diretora do filme nomeado ao Oscar do ano passado, Selma e também do documentário, que todo mundo precisa assistir, 13ª emenda. A série é simplesmente maravilhosa, já tem 2 temporadas. Consegue dar conta de uma infinidade de temas como lesbianismo, violência policial, empoderamento feminino, relações inter-raciais, masculinidade negra, e muitos outros. De todas as séries que eu assisti é a mais completa a que mais desenvolve os temas, não há superficialidade aqui.

A trilha sonora é incrível, em muitos momentos dialogando com as cenas. Os atores estão super bem, é possível sentir a entrega deles e em especial do Kofi Siriboe, com o seu Ralph Angel que vai crescendo ao longo dos EPs. Tudo funciona perfeitamente em Queen Sugar, até as personagens que você começa não gostando acabam te conquistando, enfim muito boa.

2 – INSECURE

Abrindo os trabalhos na área de comédia temos Insecure. Uma série da HBO também com 2 temporadas e que se foca na experiência de vida de duas mulheres negras que estão na casa dos seus 27 anos. Apesar de amigas elas são bem diferentes o que garante multiplicidade de histórias, enquanto uma é uma advogada, bem-resolvida, solteira a outra trabalha em uma ONG, casada e infeliz com a sua relação.

Diferentemente de Queen Sugar a carga dramática é muito suave, os problemas estão lá, são discutidos, mas de forma leve, afinal é comédia. Com certeza esse é um dos pontos favoráveis da série, a forma leve como ela conduz os temas. É muito fácil se identificar com os percalços da Issa e da Molly, quem nunca namorou por anos e um dia se viu solteira e não soube o que fazer com isso?

A trilha sonora é muito boa também e merece uma menção a parte os raps que a personagem da Issa faz, eles funcionam como uma espécie de monólogo e são muito divertidos.

É uma série ótima pra quem busca algo mais alegre e leve.

3 – ATLANTA

Outra série de comédia é Atlanta, apesar de que ela é melhor catalogada como série de comédia-drama, criada, produzida e estrelada pelo Donald Glover do canal FX, mas que está disponível no Netflix. O plot da história é a vida de Earn, vivido pelo Donald Glover, jovem, pai de família, 20 e poucos anos, desempregado e um pouco perdido que se torna o empresário do primo rapper, Paper Boi.

Atlanta consegue mesclar cenas mais sérias como o EP em que o Earn é preso e cenas mais leves como quando o Paper Boi participa de um programa de entrevista. E pra quem assistiu o filme Corra! (Get Out! Indicado ao Oscar) o EP 9 tem um plot que lembra a história do filme, apesar de que a série veio antes do filme, e só por esse EP vale a pena assistir Atlanta.

Ps. Conheçam o Donald Glover, além de ator ele é músico, o seu álbum Awaken, my love! Foi indicado para 5 Grammys, e uma das músicas fazia parte da trilha sonora do filme Corra! É apaixonante.

4 – ELA QUER TUDO

Ela Quer Tudo é um filme do Spike Lee dos anos 80 que a convite do Netflix virou uma série também dirigida por ele. A série conta a história de Nola Darling, uma jovem artista que vive três relacionamentos abertos heterossexuais. Confesso que demorei pra gostar da série, apesar de gostar do enredo, da proposta de mostrar uma mulher negra bem-resolvida que se relaciona com 3 homens, acho que fica muito tempo pautando somente Nola e os seus namorados, mas depois a série amadurece bem, discute assédio, gentrificação, manipulação do corpo, a amiga da Nola, Shemekka, é uma personagem que nos coloca várias discussões que enriquecem muito a série. E o EP 8, que é sobre a eleição de Trump é super profundo e tocante.

Eu gostei muito da trilha sonora de quase todas as séries listadas, mas o prêmio melhor trilha sonora vai pra Ela quer Tudo. A trilha é tão boa que quando uma música toca, eles mostram a capa do disco, como quem diz: “anota aí, pra você procurar depois”, mas nem precisa anotar porque tem a playlist no Spotify e no YouTube, vale a pena.

5 – CARA GENTE BRANCA

Por último eu listo a mais conhecida das séries negras Cara Gente Branca da Netflix. Por ser da Netflix, por ter gerado um movimento contrário, alguns telespectadores raivosos ameaçaram cancelar a Netflix dizendo que a série era racista reversa, por ter um filme com o mesmo nome, que serviu de inspiração para a série, de 2014, ela é a mais conhecida.

Ela tem uma pegada mais jovem, parece uma Malhação de uma das universidades negras do EUA. O mais bacana nela é a diversidade de personagens, demonstrando como ser negro não é uma experiência única, que é igual pra todos, há várias possibilidades de caminhos.

Apesar de achá-la um pouco mais adolescente, superficial talvez, ela tem uma das cenas de maior impacto, que é a cena da festa em que o Reggie tem uma arma apontada para ele. Se for pra começar por alguma dessas séries, talvez começar por essa seja uma boa ideia.

>>>

A proposta desse ranking era apresentar 5 séries que trazem a temática negra com qualidade, respeito, diversão tanto para nós negros que carecemos de nos enxergamos na tela quanto para os brancos que se sintam tocados pelo tema.

CRÍTICA DO NOSSO COLABORADOR: TATHIANE

Sobre o Autor

Dandara Aryadne
Pseudo escritora, artista plástica nas horas vagas. Criadora e colunista principal do site Cinema ATM.

Deixe seu comentário


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *