O PARQUE DOS SONHOS – CRÍTICA

O Parque dos Sonhos, uma conversa sobre amadurecimento, depressão, ansiedade e esperança! 

O Parque Dos Sonhos, June e sua mãe constroem um mundo encantado particular. Com bichinhos de pelúcia que falam, brinquedos mágicos e um espaço livre para fazer com que todos os sonhos de June se tornem realidade! 
O Parque Dos Sonhos crítica paramount animação
O nível de animação da Paramount em conjunto com a Nickelodeon é um dos personagens principais aqui. O trabalho claro da animação demonstra o esforço em transformar O Parque Dos Sonhos em um filme de alta qualidade, com sucesso! A dimensão do ambiente, a subjetividade de cada personagem, a intenção e pontuações da trilha sonora e dos ângulos de construção. Desde o concept ao produto final, faz com que este seja, uma das melhores animações da Paramount. 
Anotadas algumas referências em pontos bastante específicos, como Up, A Origem Dos Guardiões, Coraline, O Poderoso Chefinho, Toy Story... Mas estas referências não estragam o filme. Muito pelo contrário, aquece nossos corações encontrar estas pistas mágicas, pensadas durante o processo de criação. 
O Parque Dos Sonhos crítica paramount animação
Apesar de tratar de um tema infantil, em que uma menina constrói um parque mágico com sua mãe, mas quando sua mãe fica doente, June desiste do Parque dos Sonhos, o medo de perder a pessoa que ela mais ama, toma conta de tudo. O Parque Dos Sonhos consegue, conversar de uma forma bem sutil e leve para as crianças, sobre depressão e ansiedade. E está é a verdadeira magia aqui. 
June ao enfrentar o medo de perder sua mãe, precisa amadurecer mais cedo do que o planejado. Ela acredita que seus sonhos e fantasias não irão ajudar em nada e de que precisa mudar. Mas ao encontrar o O Parque Dos Sonhos, ela entende que o medo faz parte de nosso aprendizado sobre a vida. 
O Parque Dos Sonhos crítica paramount animação
Assim, com a ajuda de seus amigos encantados, ela consegue superar os obstáculos, restaurar o parque e voltar para casa. Cada animal representa um personagem na vida de June. O urso Boomer como seu pai, o porco espinho Steve representando Banky. Ela mesma como a javali Greta, que gerencia o Parque e por final, sua mãe como o macaco, mestre de criação  Peanut. Cada animal enfrenta corajosamente seus obstáculos, representando os medos e angústias de June. 
Para os adultos, será algo simples e bonito de assistir. Para as crianças, garantia de uma história emocionante, lindamente bem feita. Que ensina a nunca desistir e a ter coragem. Mesmo quando tudo parece perdido, ainda há luz no centro da escuridão. Fora que a dublagem nacional está de primeira qualidade!
O Parque Dos Sonhos crítica paramount animação
O Parque Dos Sonhos é uma animação espetaculíssima e merece ser conferida nos cinemas!