ENOLA HOLMES : CRÍTICA

Enola Holmes e o encanto original netflix!

Enola Holmes é uma aventureira mais do que encantadora. Neste filme, finalmente temos uma visão do charme, simpatia e a presença inteligente de Millie Bobby Brown. Transformando este filme em uma construção atual, bem produzida e uma presença impossível de ignorar. 

Enola Holmes

Em Enola Holmes não há nada tão extraordinariamente especial. E é aqui que encontramos o seu charme. Filmes assim, geralmente, são os meus favoritos. Um conceito simples em que tudo se encaixa. Trilha sonora, figurino, cenário. Uma harmonia que faz crescer a linguagem moderna de cada personagem.

Conseguimos trabalhar temas como: feminismo e igualdade. O que forma um paralelo interessante entre a história original de Sherlock e Watson, que foca apenas em personagens masculinos, como Elementary, por exemplo, onde John é na verdade Joan Watson, interpretada por Lucy Liu

Enola Holmes

Aqui, Henry Cavill assume o papel de um Sherlock diferente do que estamos acostumados. Sherlock é assombrado por diversos demônios, não só pelos crimes, mas por sua natureza que o consome. Na aventura original Netflix, para Enola ele é apenas o incrível irmão mais velho, ainda visto pelos olhos de uma garota que não conhece a exata maldade do mundo. E o ator acerta bem o tom! É divertido assistir seus maneirismos joviais como o detetive que tanto amamos. 

Sam Caflin está completamente irreconhecível como Mycroft, sinistro e arrogante e não decepciona de forma alguma. A única coisa que atrapalha, por conta de histórias nesse formato, é que o final se torna fácil de prever. Entretanto ficamos intrigados pelas pistas que Enola encontra em seu caminho. A diversão é tanta, que o final previsível não incomoda de forma alguma! 

Enola Holmes

A quebra da 4ª parede é uma apresentação excelente, mesmo que algumas das partes não se encaixem. Perguntas ficam sem respostas, como o porquê do mistério da mãe, talvez algo mais elaborado como um motivo de tudo. Mas seguimos tão focados, nos divertindo, que esses pequenos “erros”, não importam. 

Há em Enola essa atitude carinhosa que realmente envia a mensagem certa. O filme em geral é cheio de bondade e esperança, levando para frente a história inesquecível dos irmãos Holmes. Uma adaptação nada cansativa, disso temos certeza. Um acerto da Netflix e um presente para essa quarentena! 

MICHAEL, ANJO E SEDUTOR: DICA ATM

A utopia de Nora Ephron em Michael 

Nós ganhamos de herança comédias românticas que transformaram nossa visão do amor no cinema. E dessa herança Nora Ephron dirigiu, roteirizou e produziu histórias que acrescentaram, ao sonho do romance, uma realidade comovente. Desde Sintonia do Amor, o roteiro de Harry & Sally e Mensagem para você, Michael, Anjo e Sedutor, entra na lista como um dos filmes fracassados da diretora, mas adiciona em sua filmografia um sentimento quase de, calmaria e reflexão. Com uma história simples e maravilhosa. 

Michael anjo sedutor

Michael é um anjo decadente (perdão pela piada), que tem a missão na terra de devolver a um homem o seu coração. E o trio formado por um jornalista cético, uma mulher iludida e um homem sem confiança, partem a caminho para conhecer esse tal, “anjo”. Michael então os coloca em uma missão pela estrada para que esse grupo possa encontrar sentido em suas vidas.

É uma conexão instantânea que criamos com esses personagens. Talvez pela meia luz do nascer ou pôr do sol que Ephron sempre adiciona em suas cenas, ou a trilha de Randy Newman. Michael, interpretado por John Travolta, inspira de um jeito confortável, sabe? Claro que o roteiro acrescenta clichês ao personagem, mas quem se importa? Anos 90, uma maravilhosa trilha sonora e uma moral doce no final, com todo o jeito garotão de John Travolta, com o sorriso de lado que tanto adoramos. 

Michael anjo sedutor

Este foi o primeiro filme que eu assisti com William Hurt, quando eu era criança e depois de tantos anos, já em quase os meus trinta, acabo que por me reconhecer em certos aspectos que criam vida de Hurt para Frank Quinlan. Acho que quanto mais velhos ficamos, mais precisamos encontrar na simplicidade angelical inspiração, não é mesmo? Talvez vencer os nossos medos e nos entregarmos ao amor impossível à primeira vista. 

“Vocês precisam aprender a rir. É o caminho para o verdadeiro amor”

Michael anjo sedutor

Não há necessidade de cenários elaborados, personagens complexos, com um roteiro trabalhado em linguagens excêntricas. As vezes basta, só aquela velha receita, como eu disse, clichê, que se torna inesquecível, pois carrega lições que vamos levar para a vida toda. Foi um prazer, depois de tantos anos, re-assistir essa sessão da tarde na Netflix. Me lembrei das coisas que eu levava a sério na minha infância.

Se eu pudesse expressar de uma forma rápida o que a direção e o roteiro de Nora Ephron me apresenta com Michael, Anjo e Sedutor, seria: Um sorriso solto em uma tarde de domingo, na rede, ouvindo minha música favorita. Musicas de amor, musicas sobre torta, anjos e amor. Impossível esquecer essa.