ARRANHA-CÉU: CORAGEM SEM LIMITE – CRÍTICA

ARRANHA-CÉU: CORAGEM SEM LIMITE – Se vende ao clichê, sem sucesso.

Responsável pela segurança de arranha-céus, o veterano de guerra americano e ex-líder da operação de resgate do FBI, Will Ford (Dwayne Johnson), é acusado de ter colocado o edifício mais alto e mais seguro da China em chamas. Cabe ao agente então achar os culpados pelo incêndio, salvar sua família que está presa dentro do prédio e limpar seu nome antes que seja tarde demais. Essa é a premissa de Arranha-Céu: Coragem Sem Limite

Arranha-Céu: Coragem Sem Limite

Dwayne Johnson interpreta a ele mesmo, como sempre. Não que isso seja um defeito, pois não é, isso até assistirmos sua atuação onde ele precisa interpretar de forma dramática um personagem com deficiência física e isso acaba pesando um pouco no personagem. Mas não se engane, The Rock ainda é The Rock, com o mesmo tom das cenas impossíveis. O problema é o roteiro e a direção de Rawson Marshall Thurber (Um espião e meio). O tom das cenas de ação até irá agradar uma parte do publico, mas é tanto exagero que você perde a adrenalina de que algo pode dar errado.

Arranha-Céu: Coragem Sem Limite

Nos moderno mundo dos filmes de ação, é normal que o gênero se leve ao extremo do exagero, como as recentes franquias de Velozes e Furiosos e Missão Impossível, mas nessas franquias o exagero é bem vindo e até funciona, criando uma tensão ao inesperado. Mas aqui, em Arranha-Céu: Coragem Sem Limite tudo fica uma bagunça, o roteiro cria um labirinto para que tudo dê errado e depois se atrapalha para concertar. A tentativa de criar algo original é bem clara, mas cai no exagero e não convence. As cenas de altura causam o efeito esperado, dando medo de altura até mesmo para quem não tem, a qualidade do CGI e os ângulos de câmera são ótimos, mas é bem possível que os 125 milhões de dólares usados foram todos para os efeitos especiais, só. 

Arranha-Céu: Coragem Sem Limite

Arranha-Céu: Coragem Sem Limite tenta fazer uma homenagem, que mais parece uma paródia, ao clássico Duro de Matar, mas o roteiro é fraco não se dá ao trabalho de acrescentar lógica em nada. (Pra que né…). O elenco se apresenta da forma mais básica, a atriz Neve Campbell, que interpreta a esposa e mãe poderia ter sido muito mais interessante, já que ela não é frágil. Mas ao invés de trabalharem a personagem em sua essência, colocaram o mais do que óbvio. Ela como uma ex militar.

Arranha-Céu: Coragem Sem Limite

Não que isso seja ruim, mas suas motivações de proteção a seus filhos e sua vida se torna algo prático e militar, também mostrando o quanto os americanos são os únicos inteligentes do recinto, rebaixando a inteligência da policial local. Clichê atrás de clichê, vilões genéricos,cenas de lutas mal filmadas com closes muito próximos e uma edição pobre.  John Wick está ai pra provar que não se precisa de muito para um bom filme de ação. 

Arranha-Céu: Coragem Sem Limite

Arranha-Céu: Coragem sem Limite, é o exagero que não agrada os amantes de ação e nem o grande The Rock salva o filme de um roteiro que se perde e cenas mornas.