MISTÉRIO NO MEDITERRÂNEO – CRÍTICA:

MISTÉRIO NO MEDITERRÂNEO – A volta de Adam Sandler raiz!

Adam Sandler está de volta e com ele todo seu humor. Após uma série de filmes com pouca aceitação do público e dos críticos de cinema o ator finalmente renovou seu olhar sobre o gênero de comédia. Adicionando camadas de mistério, assassinato e muitos estereótipos, principalmente os ligados a relacionamento à dois. Mistério no Mediterrâneo é a mais nova produção Original Netflix sob a direção Kyle Newacheck.  Que conta também com a presença da atriz Jennifer Aniston.  Reafirmando a química existente com Adam Sandler tendo em vista que a dupla já atuou no filme Esposa de Mentirinha.

Em Mistério no Mediterrâneo acompanhamos o policial Nick Spitz (Adam Sandler) que persiste em realizar o testes para se tornar detetive e assim alcançar sua tão sonhada promoção. Algo que mantêm escondido de sua esposa Audrey Spitz(Jennifer Aniston). Uma cabeleira aparentemente feliz com seus 15 anos de casamento. Porém reprime uma grande frustração. Já que a promessa de viagem de Lua de Mel à Europa ainda não passa de planos que não foram realizados mesmo após anos de casamento.

Um jantar comemorativo entre amigos começa a trazer a tona questionamentos que causam uma tensão no casal Nick e Audrey. Parte sobre a prometida viagem à Europa, e parte por Nick esconder de Audrey que ainda não passou na prova de detetive. O casal possui uma química incrível. Mostrando a maturidade ao lidar com diferença de opiniões utilizando muitas vezes o humor.

Mistério no Mediterrâneo

Além de brincadeiras internas que suavizam as tensões da vida à dois e com pequenas brigas. Como por exemplo a compra do remédio errado só por ser 50 centavos (50 cents) mais barato. Ou pela obsessão em higiene do outro. Nick é um marido atencioso e dedicado. Que percebe que a viagem à Europa pode ser algo que vai desestabilizar a vida do casal de forma econômica. Mas que é algo necessário para mostrar seu amor por Audrey.

Saindo do cenário de Nova York e partindo para o continente Europeu Mistério no Mediterrâneo começa a ganhar suas camadas de mistério. Sem abrir mão da comédia, ao serem apresentados ao elegante e charmoso Charles Cavendish (Luke Evans).

Mistério no Mediterrâneo

Que de forma inusitada convida o casal para participar de sua reunião de família que será realizada no iate de seu tio milionário Malcolm Quince. Audrey fica extremamente entusiasmada com o convite, porém Nick já possuía planos para o casal. Mas acaba sendo convencido por sua esposa e assim embarcam em uma viagem pelos mares europeus em meio a luxo, intriga familiares e um misterioso assassinato.

Mistério no Mediterrâneo é uma comédia que interage de forma harmoniosa e descontraída com gêneros diversificado. Sem perder o foco no humor. Revelando uma fotografia charmosa e convidativa e apresentando um roteiro que mais parece ser uma quebra da 4ª parede. Já que Audrey e Nick possuem diálogos que muito se assemelham ao de qualquer espectador ao assistir um filme de mistério policial.

Mistério no Mediterrâneo

Mistério no Mediterrâneo surpreende por trazer um olhar mais cotidiano sobre seu oposto. A interação entre Adam Sandler e Jennifer Aniston é o auge de todas as cenas. Fazendo do filme uma ótima opção para assisti. E podendo ser considerado um dos melhores trabalhos de Sandler nos últimos anos.

MEU ETERNO TALVEZ – #originalnetflix – CRÍTICA:

Nesta semana a Netflix disponibilizou em seu catálogo mais um filme original de gênero comédia romântica com a direção de Nahnatchka Khan. A produção conta a história de Sacha Tran que é interpretada pela atriz Ali Wong. Que além de ser a protagonista também faz parte da produção e do roteiro de filme Meu Eterno Talvez.
Meu Eterno Talvez
A produção de Meu Eterno Talvez conta a história de duas crianças vizinhas que cresceram juntas e compartilham boa parte de suas vidas até a adolescência. Até certo momento onde uma intriga, já prevista (como em qualquer clichê romântico), acontece e acaba distanciando os dois. Após 15 anos sem se verem Sasha e Brandon Choi se reencontram. Sasha é uma renomada chefe de cozinha empenhada a abrir franquias pelo mundo. Enquanto Brandon continua vivendo na mesma cidade e equilibrando os serviços da família com sua banda da época do colégio.
O reencontro é embaraçoso. Não só devido a diferença entre eles, como também devido a briga que os fizera se afastar. A mudança de vida entre os dois é o mecanismo perfeito utilizado para gerar uma empatia entre os personagens e o público. Que assim como os personagens, começam a se questionar o quanto devemos manter do nosso passado e o até onde a ambição pelo sucesso na vida faz com que nos distanciemos de quem realmente somos.
Meu Eterno Talvez
Duas subtramas se desenvolvem de forma conectada a história romântica em Meu Eterno Talvez. Sem tirar a atenção da potencial chance de relacionamento entre Sasha e Bardon. O primeiro demonstra o quanto a ausência da família na infância pode influenciar seu futuro. Mostrando a irônica probabilidade de acabarmos repetindo os erros de nossos próprios pais. A ausência dos pais de Sasha mostra uma família completamente empenhada em dar a melhor estrutura financeira para a filha.
Consequentemente tanto esforço acabou afastando todos, abrindo mão de laços mais afetivos. A segunda subtrama traz a dificuldade de Brandon em superar a perda de sua mãe. Tornando-se super protetor com o pai e abrindo mão de seus próprios sonhos.

Meu Eterno Talvez

Estruturalmente a produção de Meu Eterno Talvez traz algumas lacunas que acabam não sendo totalmente preenchidas. Mas que felizmente não afetam diretamente na composição da trama. Com efeitos de montagem de cenas atraentes, a fotografia é de qualidade inquestionável. A produção pode se tornar uma ótima opção para os dias chuvosos. Compondo elementos que instigam a atenção do público, e que ao mesmo tempo acabam não sendo tão bem claros.
Deixando margem para uma subjetividade, que abre espaço para a conclusão do espectador. Roteiros assim podem vir a se tornar formidáveis, quando a proposta da produção sabe qual a mensagem deseja passar e não se embola em meio as subtramas. Embora o roteiro se esforce muito para agradar e acertar nisso em diversas vezes, muitas das cenas que exploram as reações corporais dos atores, não possuem um roteiro totalmente direcionado para o que realmente está sendo para cada ato. O que pode não levar a interpretação correta desejada pelo diretor.
Meu Eterno Talvez
Meu Eterno Talvez conta com a participação de Keanu Reeves de forma inesperada e muito engraçada. Proporcionando alguns dos momentos cômicos que vai deixar os fãs do ator ainda mais agraciados. As referências variam em Velocidade Máxima e vai até ao sombrio John Wick.
Meu Eterno Talvez
De qualquer forma Meu Eterno Talvez é uma comédia romântica que merece ser apreciada por sua fotografia, edição de imagens e desenvolvimento da história que se propõem a contar.