ANIMAÇÃO

CRÍTICA: Ancien and the Magic tablet (2017): Não faz sentido, mas funciona!

Hirune Hime ou Ancien and the Magic tablet ou ainda Napping Princess é um filme bastante confuso, eu não vou negar. A história que começa como um conto fantástico de uma princesa mágica vivendo num mundo altamente tecnológico se mescla com uma Tóquio com requintes futurísticos e robôs gigantes.

Ancien and the Magic tablet acompanha a história de Kokone, uma garota colegial que vive sozinha com seu pai depois do falecimento de sua mãe quando ela era apenas um bebê. Kokone tem a incrível capacidade de dormir em quase todos os lugares e, ao fazê-lo, ela acaba se inserindo no mundo fantástico das histórias de dormir que seu pai lhe contava, aonde ela é a protagonista. As coisas começam a esquentar quando um estranho homem aparece na vida dos dois, o pai de Kokone é levado sob custódia e as únicas respostas de Kokone dependem dela conseguir decifrar os estranhos sonhos que tem. E não tem como explicar mais desse filme sem dar grandes spoilers ou sem confundir a cabeça de alguém. É sério.

Ancien and the Magic tablet é um filme que conta com visuais incríveis, com um uso de câmera cativante e cenários incrivelmente bem detalhados, no entanto, muito disso se perde por conta de um roteiro confuso. A história de Ancien and the Magic tablet é construída de modo não linear, o que em si já é um movimento arriscado se o roteiro não for minimamente excelente, mas o fato de que o longa se propôs a juntar tantos gêneros na mesma produção, amalgamando-os numa coisa só, que piorou. Ancien and the Magic tablet funciona, mas durante boa parte do tempo é uma grande interrogação.

Então, indico? Talvez! Ancien and the Magic tablet é um bom entretenimento. É ainda melhor se você consegue passar por toda a confusão do roteiro e aguentar as longas duas horas de filme. Ao mesmo tempo, é um filme que requer muita imaginação e se você for uma mente lógica que se pega implicando com alguns pontos técnicos (oi, chamou?), talvez não seja o melhor filme pra você.

Críticas a parte, o longa foi um sucesso, conquistando o nono lugar de bilheteria no fim de semana de lançamento. Ancien and the Magic tablet é uma produção de 2017 do Signal.MD (Cyborg 009) com direção e Roteiro de Kenji Kamiyama (Ghost in the Shell, Jin-Roh).

Sobre o Autor

Angélica Menchini
Ilustradora, amante de histórias e sempre disposta a falar sobre animação.

Deixe seu comentário