ARTIGOS RECENTES

CRÍTICA: SEXY POR ACIDENTE – Uma excelente visão sobre desconstruir padrões!

Dias desse eu estava conversando com uma amiga e a perguntei o que havia acontecido com as comédias modernas, que não tinham a mesma magia dos 90 e 2000. Ela respondeu uma coisa que acho que faz todo sentido, que as piadas de antigamente não fazem mais graça, parecem insulto ao invés de ser engraçado, se você não souber fazer humor inteligente não terá mais espaço para sucesso. Dos mesmo diretores de Eu Nunca Fui beijada (1999) e Ele Não Está Tão Afim De Você (2009), Sexy Por Acidente acerta pela sutileza do humor deixando claro as criticas para uma sociedade que tenta de qualquer jeito aplicar um padrão de beleza.

Renee (Amy Schumer), uma mulher comum, luta diariamente com sua insegurança, mas depois de cair de bicicleta e bater a cabeça, ela de repente acorda acreditando ser a mulher mais bonita do mundo. E com isso Renee começa a viver a vida de forma mais confiante e sem medo das falhas.

O começo de Sexy Por Acidente é arrastado e ate desconfortável (propositalmente para nos fazer sentir na pele os problemas que Renne passa), não tem piada nas cenas em que Renee tenta entrar no padrão dá sociedade, sua tentativa de se aceitar em um mundo que é tão duro com ela. Na primeira cena a funcionaria da academia tratando ela com desprezo, como se perguntasse o que ela estivesse fazendo ali, assistimos Amy Schumer mostrando sua personagem bem cabisbaixa, deixando claro, principalmente quando ela sobe na bicicleta de ginastica, a sua insegurança com o olhar vazio, sem esperança. A cena do espelho me deixou pensativa sobre o como o mundo padronizado e cruel. O filme tem suas referencias, é uma bola cheia para quem gosta dos filmes dos anos 90 e 80. Mas tudo muda quando ela bate a cabeça na aula de spinning. Amy Schumer nos primeiros 30 minutos de filme e a partir do momento em que ela se acha a mulher mais bonita do mundo é uma mudança da água para vinho. 

Poderia ser somente um filme de comedia que fala do amor próprio, da beleza interior mas Sexy Por Acidente fala da auto confiança e não se engane, por mais que pareça, esse filme não é igual  Amor é Cego de 2001. Mesmo o roteiro tendo umas falhas ali outras aqui, não gostei muito quando a personagem se perde em momentos fúteis, mais nada que tire o brilho, a direção é eficaz em trazer um lado mais humano pra trama, achei muito inteligente eles não mudarem nada na personagem a não ser sua confiança, porquê até as roupas e penteados continuam os mesmos, o que muda é simplesmente o jeito da personagem de encarar o mundo.

Pela primeira vez eu gostei da atuação de Amy Schumer, ela não esta exagerada – o que uma boa direção não faz, né verdade? – Eles acertaram nisso com a Amy, que diferente de Amor é Cego, que tem seus pontos fortes nas piadas, é um filme que não se encaixa, aposto que você se perguntou assistindo Amor é Cego: então a beleza interior de uma pessoa é magra ? Aqui em Sexy Por Acidente é ao contrario. É a desconstrução da visão das pessoas ao redor de Renee que muda, mesmo ela sendo ela mesma. Chega a ser engraçado as pessoas terem medo e estranheza pela confiança de Renee, isso é algo notável.

Uma coisa louvável é o elenco cheio de nomes grandes. Michelle Williams esta engraçadíssima com o seu papel de neta da Dona da empresa mega famosa no ramo de beleza. Adrian Martinez consegue competir por igual com o timing da comédia de Schumer. Rory Scovel, que faz o fofo Ethan, par romântico de Renee, entra com química para o casal, umas das belas jogada do roteiro é o romance acontecer de uma forma natural, em que Ethan se apaixona pelo jeito de Renee de forma admiradora. A direção mostra que não existe um padrão belo, isso é formado o tempo todo ao decorrer da historia. O bom é que não focamos apenas no lado romântico, que sempre é usado nesse gênero, mas também em outras áreas da vida de Renee, que muda completamente quando ela começa se achar a pessoa mais linda do mundo.

Nas palavras de RuPaul “If you can’t love yourself, how in a hell you’re gonna love somebody else?” Bem isso que o filme passa no final, o discurso empoderador e sensível, de como perdemos com as nossas inseguranças, onde nos trancamos em nossos defeitos que existem em nossas cabeças, então confie em você para conseguir tudo o que você quer na vida.

Sexy Por Acidente consegue nos fazer rir com suas piadas sutis e inteligentes, sem apelar pelo obvio, uma crítica a ditadura do padrão da beleza, o filme em que Amy Schumer entrega uma personagem com seus medos e inseguranças até se tornar uma personagem forte contra uma ditadura de beleza patronizada.

Sobre o Autor

Deixe seu comentário