CRÍTICA: VERDADE OU DESAFIO (2018) – Nada digno, nada bom, joga fora!

Eu continuo a ser bem cética quando se trata de filmes de terror modernos ou da Blumhouse. Eu reconheço que Jason Blum teve um 2017 notável com Split, Happy Death Day e Get Out sendo todos bons para grandes  públicos e alcançando sucesso na bilheteria e além! E tem havido algumas outras coisas impressionantes que ele está por trás também, e não apenas no gênero de terror.
 
Mas quando se trata de Verdade ou Desafio isso realmente reforça meu ceticismo de que ele não é o genial produtor de terror que alguns o proclamaram ser. Esse tipo de abordagem ao terror, que é incrivelmente infantil, poderia até te chamado alguma atenção se fosse lançado nos anos 80 ou até mesmo nos anos 90, mas por enquanto Blum continua a ser alguém que não possui controle de qualidade sobre esse tipo de gênero, então seguindo 2017 como o ano de seu auge, aparentemente Verdade ou Desafio segue como uma verdadeira decepção.
 
Conceitualmente esse filme é incrivelmente estúpido, mas isso não importaria muito se Jeff Wadlow tivesse percebido a jogada certa para uma história desse tipo, não levar o filme tão a sério. Mas a partir do momento que o tom do realismo é colocado a prova, o filme se torna completamente burro e limitado para sequer ser considerado terror pastelão. Há uma comédia sinistra bem nítida e decente a ser usada nesse gênero, especialmente se você conseguir fazer algumas mortes inventivas e personagens simpáticos. Mas isso não acontece aqui!
 
Hayden Szeto, que aparece em The Edge Of Seventeen, é o único que provou ser ocasionalmente divertido e interessante, para não mencionar ser o único ali que parecia saber o que estava fazendo na questão de atuação, nem mesmo Lucy Hale de Pretty Little Liars conseguiu atingir o tom necessário. Tirando esse fator positivo, o filme falha miseravelmente.
 
Sem comentarmos o problema lógico de todos não poderem escolher no jogo – nem todos conseguem escolher o que querem – MAS ESSA É A REGRA PRINCIPAL DO JOGO. A explicação para esse problema do filme é rápida, sem sentido e completamente esquecível depois de alguns segundos. Como se alguém resmungasse baixo em uma sala cheia de gente. Talvez se o filme tivesse tido uma bom roteiro e uma direção inteligente a ideia até não seria desperdiçada. Mas Wadlow decaiu MUITO com Verdade ou Desafio, tomando o caminho mais fácil e acaba confundindo o que poderia ser simples e bem apresentado. Também é indesculpável que as mortes aqui sejam tão entediantes e que os efeitos não sejam nem um pouco desconcertantes ou assustadores. Como eu digo, algumas das atuações são terríveis, mas não ajudadas por algum diálogo ainda pior.
 
Claramente Blum tem algo que irá chamar a atenção de um tipo certo de publico para pagar seus custos de produção, mas isso parece ao meu ver, depois de Get Out, um grande passo para trás, um filme que eu não recomendaria para ninguém.

Sobre o Autor

Dandara Aryadne
Editora, Artista plástica, ilustradora. Criadora e web influencer do site Cinema ATM onde escrevo algumas coisinhas sobre os filmes que assisto.