CINEMA

DICA ATM: UMA MANHÃ GLORIOSA – O lada nada glorioso do jornalismo

Sempre quis ver Uma Manhã Gloriosa, mas por algum motivo nunca tinha parado para assistir de fato. Aproveitei uma folguinha que tive essa semana e resolvi riscar esse filme da longa lista do que assistir e tive uma grande surpresa ao me divertir de fato com o filme!

Com roteiro de Aline Brosh McKenna (O Diabo Veste Prada) e dirigido por Roger Michell (Um Lugar Chamado Nothing Hill), o filme inverte a ordem típica dos acontecimentos e depois de estrear na tela do cinema, vira um livro escrito por Diana Peterfreund, que romantiza o roteiro da comédia.

Contando a história de Becky Fuller (Rachel McAdams), uma proeminente produtora de tv que sonha em trabalhar no Today Show, mas que começa a carreira como produtora do programa local Good Morning New Jersey, até ser despedida e se vê obrigada a conseguir um emprego no decadente DayBreak. Fuller é a típica protagonista workaholic que coloca seu emprego à frente de tudo em sua vida, e quer provar a todos que seu sonho de ser uma produtora de tv não é uma loucura. Logo no primeiro dia como produtora executiva do programa, Becky Fuller agita as coisas e demite o âncora, fazendo com que comece uma busca para um novo âncora à altura e que possa fazer com que o programa não seja cancelado.

Bebendo da água de filmes como Nos Bastidores da Fama (1987) e Como Perder Um Homem em Dez Dias (2003), o longa conta de forma fácil e leve os dramas e perrengues enfrentados por quem trabalha no meio jornalístico, onde o que importa são números e mais números, as vezes muito mais do que a informação. Mesmo esse não sendo o tema central do filme, a crítica é clara para aqueles que querem enxergar – muitas vezes para chegar a esse resultado os programas jornalísticos se distanciam de sua forma primária de transmissores de notícias para serem programas de entretenimento. E tudo bem. Mas por que não ser os dois?

Com um elenco super carismático e um time de peso completado por Harrison Ford – que faz as vezes do vilão (será?) e Diane Keaton como a estrela pomposa do jornal, Uma Manhã Gloriosa é uma comédia feel-good que apesar da sua bilheteria decepcionante faz com que aqueles que o assistam sintam uma pontinha de esperança de que no final todos os perrengues que a gente passa nessa vida não são em vão quando se tem um sonho.

Sobre o Autor

Juliana Catalão
Estudou cinema no ensino médio, onde foi técnica comunicação social. É a maior fã de Harry Potter e de cantores que ninguém conhece. Recentemente fã de filmes de super herói, mãe do Midoryia de BNHA, editora de livros nas horas vagas.

Deixe seu comentário