cinema

DICA: SETE MINUTOS DEPOIS DA MEIA-NOITE (2016) – Uma poderosa fábula contemporânea!

Todo gênero de ficção possui componentes e características próprias para o definir. Os filmes do gênero fantasia costumam possuir uma face extraordinária e desempenham melhor do que outros gêneros a tarefa de maravilhar a platéia ao mesmo tempo que a deixa tocada e em estado de profunda reflexão sobre os acontecimentos dentro de uma mesma história. 
 
Em Sete Minutos Depois Da Meia Noite (A Monster Calls), dirigido por J. A. Bayona, podemos acompanhar um roteiro que ressuscita todos os componentes essenciais de uma fábula, além de sermos presenteados com atuações que são um deleite para os olhos e interessantes visões filosóficas dentro de um mesmo tema.
 
 
O filme é baseado no livro homônimo, seguindo a história de Conor (Lewis Macdougall), um garoto que se vê prejudicado emocionalmente por ter que lidar com o câncer em fase terminal de sua mãe. Conor passa a ter sonhos todos os dias no horário de 00:07 com um monstro (Liam Neeson) que possui aspecto de uma gigantesca árvore, que diz que o irá contar 3 histórias, e que após a terceira história, Conor terá que contar ao monstro a verdade a qual ele esconde de todos.
 
São construídas histórias com belas visões e reflexões, mostrando como esse gênero não é um sinônimo do gênero infantil, dando também espaço para que os atores possam desempenhar suas funções com o melhor resultado que poderíamos esperar. A voz de Liam Neeson como o monstro projeta perfeitamente a visão que o autor original da obra teve ao escrevê-la, misturando sabedoria, poder e gentileza. Ainda que Neeson tenha feito um trabalho de tirar o fôlego, temos que dar bastante crédito para Lewis Macdougall por ter mostrado bastante talento ao projetar sua voz na medida certa e ter dominado os sentimentos que perpetuam a cena com suas expressões. Felicity Jones e Sigourney Weaver tiveram bem menos tempo de tela, mas também nos deram atuações impressionantes com os monólogos de suas respectivas personagens (mãe e avó de Conor).
 
 
Acompanhado do drama principal que é o alicerce do filme, vemos Conor envolvido em diversos outros problemas pessoais que são afetados com as histórias que o monstro conta, como bullying e a distância do pai. Ao mesmo tempo que vemos como as fábulas do monstro afetam muito claramente o garoto mesmo ele sem perceber, também nos vemos refletindo e nos perguntando nos significados de suas histórias, vendo assim que é muito fácil se identificar com elas e as assimilar à nossa própria vida, por mais longínqua que a situação de Conor seja da nossa própria.
 
 
Sete Minutos Depois Da Meia Noite é um filme lindo, além de um grande espetáculo visual, é uma ótima opção para se assistir quando é desejado ver um conteúdo com uma carga filosófica e sentimental mais pesada, principalmente pelo fato de estar disponível atualmente pela Netflix. A atuação de Lewis Macdougall é exemplar, coisa que me aliviou ao ver o filme, pois é sempre motivo de preocupação ter uma criança ocupando o maior tempo de tela de um determinado filme, principalmente quando temos o sólido trabalho de um prestigiado ator no mundo do cinema como Neeson

Sobre o Autor

Bruno Lucena
Fã de Pink Floyd e pizza. Leitor ávido e nas horas vagas gosto de conversar sobre os filmes que assisto.

Deixe seu comentário