artigo

Fotografia no cinema: Her (2013)

her_640_large_verge_medium_landscape__140217203020

Uma análise da cinematografia de Her – em uma certa forma de poesia, acredito. Só há dois tipos de pessoas na sétima arte. Aquelas que gostam de assistir filmes, e aquelas que gostam de cinema.


Her nasceu para aqueles que gostam de cinema.
Her nasceu para nos fazer refletir no que acontece com nossos sentimentos, e sim! Também veio para nos deixar incomodados com algo que poucos mencionam, mas muitos passam por isso… O relacionamento à distancia.


Você, por incrível que pareça, se sente confortável e praticamente em casa ao perceber que a Samantha existe, não só nos os relacionamentos à distancia, mas pior… Existe no relacionamento “real”. Não. Não estou aqui hoje para fazer uma critica ao filme, o que quase aconteceu, mas estacionei aqui para dizer e mostrar o quão sensível, confortável, amigável e delicada é a fotografia de Her.

Fotografia dirigida pelo holandês Hoyte Van Hoytema que foi o responsável por produzir Deixa Ela Entrar (2008), Interestelar (2014) e 007 Contra Spectre (2015 – Confira a crítica AQUI)  fez sucesso nos corações de muitos cinéfilos e amantes da fotografia.

Como uma boa cinéfila e amante da bela fotografia que sou, separei os meus cliques favoritos do filme para vocês, em 3 pontos que acho importante para o meu jeito de fotografar.

EXPRESSÃO    

 

12

 

Na primeira imagem, temos a ex-esposa de Theodore observando-o como um felino prestes a atacá-lo. Ela expressa disposição e sensualidade ao morder a pontinha dos dedos ao observar Theodore.

Na segunda imagem, temos Theodore observando Catherine. Ele expressa carinho, atenção a ela dentro de si e paz de espírito.

POSICIONAMENTO

 

13

O posicionamento da câmera é importante, sim, mas, mais importante que isso, é o posicionamento/postura do personagem. O que ele está sentindo, como vemos nas duas imagens, é Theodore pensativo, cansado e triste. Sempre de cabeça baixa.

COMPOSIÇÃO

 

jgfj

 

                 
Theodore tem um longo e limpo caminho enquanto caminha pelas areias da praia. Temos listras de todas as formas, quadriculados de cores harmoniosas e os tons escuros e claros estão divididos, como podem perceber. Ao lado direito temos cores escuras, pessoas ocupadas e sombras e no lado esquerdo temos o azul do mar, os tons claros e quentes e olhares atentos a uma direção.

Isso tudo faz com que o personagem ganhe destaque ao simplesmente caminhar pelas areias da praia. Um gesto simples, mas que com toda essa composição de cores, figurino e posicionamento dos personagens se torna incomum, sensível e durável na memórias dos seus amantes por um bom tempo.

Preparei esse post (especificando os 3 pontos), com carinho e gentileza porque sei o quanto é maravilhoso ser compreendido. Em respeito a muitos, não dei spolier, como o de costume, porquê quero muito que vocês assistam e reflitam em cima do que eu compartilhei hoje com vocês.

 

Susu dois

Sobre o Autor

Susu Oliveira
Fotógrafa, videomaker e dou uma de crítico de cinema achando que to abafando. www.maxwelenoliveira.com.br

Deixe seu comentário


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *