GRETA (OBSESSÃO) – 2018: CRÍTICA

GRETA (OBSESSÃO): UM EXCELENTE SUSPENSE PESSOAL

Poucas pessoas pensariam que uma inocente bolsa verde perdida no metro poderia funcionar como uma bela isca. Frances McCullen (Chloe Grace Moretz) certamente não é uma dessas pessoas. Calma e de boa índole, Frances encontra a bolsa perdida numa noite, quando está voltando pra casa de ser turno de serviço. Pensando em fazer uma boa ação, ela resolve levar a bolsa até sua dona e lá conhece uma dócil senhora, Greta, de sotaque francês carregado. Que a convida para um chá em forma de agradecimento.

Greta

Isabelle Hupert interpreta a solitária Greta Hideg. Uma professora de piano que vive sozinha depois da morte do marido e cachorro. A filha, única parente viva, mora em Paris. É obvio que ambas são muito solitárias e as peças que faltam em suas vidas parecem se encaixar perfeitamente. Já que Frances sofre com a perda recente da mãe, que morreu de câncer, e com sua relação afastada com o pai, Chris.

Vendo uma na outra a possibilidade de dias mais felizes, as duas começam a passar cada vez mais tempo juntas. Nas palavras de Greta, “todo mundo precisa de um amigo”, e Frances não vê mal algum nisso. Mesmo sendo advertida por Erica (Maika Monroe), sua melhor amiga com quem divide o apartamento.

Greta

Em uma noite, enquanto preparam o jantar juntas, Greta pede a Frances que procure as velas no armário e é aí, ao abrir a porta errada, que Frances encontra diversas bolsas idênticas àquela que ela retornou. Algumas com nomes e números escritos atrás, o dela própria inclusive. Assustada, Frances finge sentir-se mal e volta pra casa, decidindo que, a partir dali iria cortar relações com Greta.

Greta, no entanto, não gosta nem um pouco disso e passa a perseguir Frances. Ligando diversas vezes, aparecendo em seu local de trabalho e chegando até a perseguir Erica enquanto manda fotos constantes para Frances. A trama chega ao ápice quando Greta finalmente sequestra Frances. Trancando-a em um quarto secreto atrás do enorme piano que tem na sala. Usando as redes sociais de Frances, Greta consegue fazer parecer que ela está numa viagem com Erica, para Chris dela, e com o Chris, para Erica.

Greta

SPOILERS >>>

É o ponto alto para Greta, que finalmente tem alguém sob sua tutela novamente. Fica claro que ela vem fazendo isso continuamente vítima após vítima. E que a única que conseguiu escapar de suas garras foi sua filha, Nicola, que se suicidara alguns anos antes. Incapaz de continuar lidando com as cicatrizes emocionais que a mãe lhe causara. Com lições constantes de piano e culinária, tudo parece celestial para Greta. Até que Frances tenta fugir.

É nesse ponto que ela decide que o tempo de Frances está acabando. E resolve colocar mais uma bolsa como isca para uma nova jovem de boa índole encontrar. Funciona, já que a bolsa é pega por uma jovem de cabelos castanhos que a leva direto a casa de Greta.

Greta

Seguindo o roteiro programado em sua cabeça, Greta se comporta exatamente como na cena em que encontra Frances pela primeira vez. Inclusive com as mesmas frases. Mas é só depois que bebe seu chá que ela nota que algo está errado. Sentindo-se tonta e prestes a desmaiar, Greta observa enquanto a jovem tira a peruca que usava e descobrimos que é Erica. Que tem passado todo esse tempo procurando a bolsa pelos metros, esperando uma chance de encontrar Greta e salvar Frances.

Greta

Com direção de Neil Jordan e roteiro de Neil Jordan e Ray Wright, Greta (Obsessão) é um suspense que vai escalando deliciosamente até a cena final. É possível sentir os pontos aonde a sanidade de Greta vai se quebrando. E ela vai mostrando exatamente quem ela é realmente. Acompanhado de uma fotografia simples, que ajuda a criar essa ambientação de “isso pode acontecer com qualquer um”, Greta é um ótimo suspense e prende até a última cena.


Sobre o Autor

Angélica Menchini
Ilustradora, amante de histórias e sempre disposta a falar sobre animação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *