SONG OF THE SEA (2014) – DICA ATM

Song Of The Sea me ganhou na primeira imagem aquarelada e levou meu coração embora para o mar. Essa história consiste em um único e claro elemento de moral. Esse elemento que nos hipnotiza, cativa e nos carrega durante todo o filme. Nossa criança interior.
Os personagens são identificáveis por suas próprias personalidades. O pequeno Ben por ter perdido sua mãe, um homem e pai perdido sem a esposa e uma menininha doce e inteligente, que carrega um segredo que pode ajudar a salvar toda sua família.

Em sua simplicidade narrativa, Song Of The Sea conquista por trabalhar esses concretos elementos da mitologia celta da forma mais animada e bela possível. Com emoção. A metáfora sobre uma linda lenda irlandesa sobre um triste gigante do mar e o amor de uma mãe. A jornada de conhecimento da pequena Saoirse, encontrando seu lugar no mundo ao lado do irmão. As relações familiares construídas de uma forma encantada e doce, que nos emociona, impedindo que desgrudemos o olho desta família tão encantada. 

Song Of The Sea

Na mitologia irlandesa similarmente como na religião celta, Macha é a Grande Deusa, um dos três lados da Grande Mãe, que deu vida aos Tuatha Dé, consequentemente, o povo da Irlanda. Ela é cercada por corujas e corvos, rodeada de pássaros ao vento. A grande progenitora, justa e intimidante. Em contraste com a lenda original, Mac Lir, Deus do Mar, não é filho de Macha, entretanto, aqui, a história funciona tão maravilhosamente bem, que pouco importa a fidelidade a mitologia. Em Song Of The Sea, o Deus tem seu espirito preso em uma grande ilha, que guarda um segredo. 

Song Of The Sea

Muitos elementos mitológicos completam essa jornada heroica de Saoirse e seu irmão Ben. Bronah, a mãe, e o nome adaptado da Deusa Boann, Deusa dos Rios, inteligencia, criatividade, diretamente ligada ao mito das Selkies, Fadas, goblins, espíritos encantados da Floresta… Toda a base histórica para os Tuatha de Dannan, ligados aos instrumentos musicais. Até mesmo o nome do cachorro, Cu, também representa um Deus mitológico irlandês. A simbologia clara e delicada do paganismo em uma linda história de amor e compreensão. 
Song of the sea
Em um 2D, todo preparado a moda antiga, um trabalho digital claro para apenas elevar os efeitos especiais da animação. Tons de aquarela, lápis de cor e quadros finalizados em tamanha perfeição. e com apenas alguns efeitos especiais de animação.  
A trilha segue com a identidade, cantigas celtas e irlandesas antigas. Song Of The Sea é escrito e dirigido por Tomm Moore (Uma Viagem ao Mundo das Fábulas – 2009). Em sua direção, ele com certeza conseguiu elevar a animação (ainda em 2014). Criando um mundo completo, fazendo com que o expectador se sinta mergulhar nas profundezas do mar e dentro dessa lenda encantada.
TRILHA: AQUI
Song Of The Sea a canção do oceano

Sobre o Autor

Dandara Aryadne
Editora, Artista plástica, ilustradora. Criadora e web influencer do site Cinema ATM onde escrevo algumas coisinhas sobre os filmes que assisto.

Um comentário sobre “SONG OF THE SEA (2014) – DICA ATM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *