CAPITÃ MARVEL – CRÍTICA – (com spoilers)

CAPITÃ MARVEL – A NOVA ERA DO UNIVERSO CINEMATOGRÁFICO DA MARVEL! SIM! 

Em todo filme de apresentação de algum super-herói ou super-heroína, acontece sempre o mesmo problema. Alguns reclamam do roteiro, outros aclamam e tem aqueles que condenam o filme completamente. Devo com garantia assegurar que Capitã Marvel segue a receita, mas com um ingrediente muito especial: Carol Danvers. 
Capitã Marvel resenha crítica
Capitã Marvel é um filme de apresentação, assim como Thor 1, Homem de Ferro, Capitão America… Que em seus primeiros filmes não foram nada bem-vindos em relação a roteiro, concepção ou montagem. E a história de Carol Danvers dá a linha de continuidade para o mesmo modelo de apresentação MCU
As referências aos clássicos oitentistas e dos anos 90 estão no ponto certo; Temos Top Gun, até mesmo Star Wars e Easy Rider. Cada elemento do filme está posicionado da forma mais no ponto possível. Recebemos os anos 90 de volta com toda a sua glória. 
Capitã Marvel resenha crítica
Aos efeitos especias e as cenas diretos do espaço, a direção de arte e montagem não deixa a desejar. Os poderes de Carol, as armas, as armaduras, detalhe por detalhe, tudo pensado com muito carinho para nos ambientar nessa galáxia paralela dos Kree, com total confiança. Fica muito claro a dedicação da produção deste filme, justamente por esses acertos. 
Em relação ao elenco coadjuvante e aos antagonistas, como Jude Law e Annette Bening (figuração da Inteligência Suprema), eu poderia dizer que esperava um pouco mais. Essa brincadeira da Marvel, de sempre tentar ser engraçada no roteiro em momentos de alta tensão, me irrita, e muito. Mas isso é um problema da Marvel no geral para mim. Quer ser engraçado? Seja! Mas se é pra falar sério, vamos falar sério. 
Capitã Marvel resenha crítica
Ben Mendelsohn me surpreendeu. Ele como o general Skrull acerta muito bem suas deixas para ser engraçado e proporciona os momentos mais emocionantes do filme (uma lagrimazinha no canto do olho quando ele reencontra com a família dele). Uma excelente reviravolta dele ser o vilão e depois o mocinho líder e ter uma boa jogada de comédia, ação e climax para seu personagem. 
Samuel L. Jackson é Samuel L. Jackson. Seu Fury sempre fugiu da linha principal da Hq. Mas tá tudo bem. Ele é bom no que faz. Gosto dele como Fury, a relação dele com Carol é MUITO mais fraternal do que dele com o Tony Stark e eu gostei disso. 
Capitã Marvel resenha crítica
O MCU encontra seu ponto de partida. Após Capitão América, é com Capitã Marvel que realmente começamos o Vingadores ( a piadinha de Avanger, curti!) e presenciamos um começo bom para a S.H.I.E.L.D. 
Brie Larson, chegou o momento. Saindo da sessão eu ouvi muitos críticos homens, saindo da sessão reclamando do roteiro, reclamando que ela era muito sem expressão, que ela era arrogante, que ela não era simpática, que ela não era engraçada… 
Capitã Marvel resenha crítica
Também Tony Stark e ai? Por que venhamos e convenhamos, em Homem de Ferro 1 o número de piadas machistas é ENORME, ele é carismático, mas vocês acompanharam a carreira do Robert Downey Jr? Ele nunca foi um ator muito “oscar não…” E como Tony Stark, ao menos no primeiro filme, que também não tem um roteiro original, mas segue a HQ, ele é bem ok. Qual a diferença? 
Carol é a Mulher Maravilha da Marvel. Ela é a personificação da Mulher que vai destruir Thanos, salvar a galaxia e conquistar o mundo. E isso incomoda né?! Pois é! Brie Larson, celebremos! O seu treinamento foi intenso, as cenas de lutas e ação em geral estão seriamente, muito bem coreografadas. 
Capitã Marvel resenha crítica

Ela nos dá a Carol dos quadrinhos. Arrogante, engraçada, meio desequilibrada, pronta para a ação e sem aceitar desaforo de ninguém! Marvel, amém! 

Nenhum personagem da história é deixado de lado, a relação de Carol com Maria, a filha da Maria, Mônica, (você pensa que eu não vi essa introdução a Mulher de Ferro ai, não Marvel? Eu vi!), os Skrull, os Kree, as relações com Guardiões da Galáxia com Ronan (Lee Pace)… Tudo isso fica excepcionalmente bem fechado, mas aberto para uma sequência muito mais elaborada. 
Capitã Marvel resenha crítica
Capitã Marvel vai incomodar, sim! E é pra isso que eu pago ingresso, para assistir uma super heroína não aceitando por menos. E muito menos aceitando ser chamada de “young lady“, então, pode vir Viúva Negra, filme solo, estamos prontas! 
Capitã Marvel resenha crítica

CENAS PÓS CRÉDITOS: 

Vai ter Carol Danvers salvando Tony Stark no espaço, SIM!