HELLO MY TWENTIES – 1º Temporada – DORAMA ATM:

Hello My Twenties conta a história de Yoon Eun‑Jae, uma menina tímida do interior que entra para a Universidade e sai de casa para morar em uma republica só de mulheres. Ela precisa enfrentar as diferentes personalidades dentro de sua nova casa e também as dificuldades da sua nova rotina nesse novo mundo. Agora, o dorama poderia prolongar todos os doze episódios na vida de Eun-Jae e suas descobertas amorosas, mas escolhe fazer uma reviravolta maravilhosa com o mundo dessas cinco mulheres.
Hello My Twenties
Tudo começa quando Song Ji‑Won (Park Eun‑bin), em uma noite de bebedeira, diz ter a habilidade de ver fantasmas e que dentro do apartamento delas habitava um espirito a procura de um assassino. Desde ai, descobrimos que todas elas possuem problemas que precisam enfrentar, esse fantasma se torna a metáfora de suas lutas diárias. O desenvolvimento de personagens desse dorama é incrível e fazia bastante tempo que eu não passava pela experiência de me identificar com personagens femininas coreanas. Hello My Twenties é maravilhoso e extraordinário por esse fato.
Começamos pela própria Eun Jae. Sua infância, apesar de na primeira impressão, parecer tranquila e “fácil”, se mostra um dos seus maiores desafios. O seu “fantasma” se concentram na morte de seu pai, na imaturidade de sua mãe e na busca de alguém que a compreenda como mais do que uma menina tímida. No começo, Eu Jae é como toda mocinha principal de qualquer outro dorama, mas ela vai aos poucos se despindo de seus preconceitos, ganhando coragem e voz para falar o que ela realmente quer e lutar por aquilo que ela acredita.
Hello My Twenties
Uma das surpresas foi a história de Jung Ye‑Eun (Seungyeon). Ela é a menina popular e amada que vive um relacionamento despreocupado e não tem consciência de seus atos trazem consequências. Claro que há o fator “há muito mais dentro dela do que a menina popular fútil”, mas experimentamos suas inseguranças, ainda mais por conta de seu relacionamento com Ji Il-Joo.
Ela aguenta as traições, as mentiras e até os abusos psicológicos por acreditar que ninguém nunca irá amá-la ou a querer por sua verdadeira personalidade. Mas durante todo o dorama, ela luta por sua autoestima e mesmo sofrendo por esse amor (seu fantasma, tanto romântico, quanto próprio), ela emerge sorrindo e com força para continuar.
Calma que as surpresas não pararam por ai, quando eu digo que Hello My Twenties é melhor do que vocês esperam, acreditem, porque vocês ainda irão conhecer a Kang Yi‑Na – uma jovem que se prostitui para conseguir se sustentar – Como uma namorada de luxo, Yi-Na esconde o segredo de como sua vida foi salva depois de um acidente de carro.
Hello My Twenties
Ela carrega essa culpa, além de sua profissão, escondendo de suas amigas/colegas de casa, até a verdade vir a tona e ela precisar repensar em suas escolhas. Agora, isso é importante: Dentro da Ásia, profissões que envolvam o sexo recebem dois lados da verdade; o lado tabu, onde mulheres que prestam esse serviço são mal vistas pela sociedade e o lado exótico, onde funciona a perversidade masculina (Japão é um dos piores países sobre isso).
Esses dois lados são mostrados com bastante sutiliza dentro da vida da personagem Yi-Na. Pela forma como suas amigas descobrem a verdade e como a vida lida com mulheres assim. Mais uma vez, o desenvolvimento de personagens desse dorama é sensacional e como Yi-Na ESCOLHE mudar de vida, começando uma carreira do zero e crescendo, ela passa a experimentar os problemas da “vida real”, de forma natural e humana, conseguindo enfrentar seu “fantasma”, a vida.
Hello My Twenties
A vidente Song Ji‑Won (Park Eun‑bin) é uma das personagens simples desse quinteto. Seu fantasma não é a falta de sua vida amorosa, mas encontrar uma razão para ser ela mesma e não o que os outros esperam. Isso leva ela a mentiras e situações que vão além de seu controle ( a festa dos homens? Uma das sequências mais engraçadas que já assisti em dorama!). Ela é o peso cômico, natural e descontraído de suas amigas. Mas precisa lidar com a solidão romântica e com o dilema de sempre ser ela mesma perante os outros. Quando ela percebe que ela não precisa mudar por ninguém e que um dia talvez encontrará alguém que irá amá-la por quem ela realmente é, isso muda sua vida.
A amiga e personagem final é Yoon Jin‑Myung. Eu deixei ela para o final, justo por ela ser a perfeita antagonista de Yi-Na. As duas lidam com a vida de maneiras bem diferentes e ambas no final atingem o mesmo objetivo, viver por elas mesmas. O fantasma de Jin-Myung tem várias facetas, sua vida familiar, sua vida escolar, sua vida amorosa e seus objetivos de trabalho. Ela é pobre, não é considerada tão especialmente bonita, até mesmo por suas amigas e sempre está correndo atrasada para algum outro trabalho. Ainda carrega essa tristeza constante dentro dela que é impossível não sentir ou não se identificar.
Estuda vinte quatro horas por dia. Trabalha vinte quatro horas por dia. Mal tem tempo para lavar ou pentear o próprio cabelo e sempre está sem dinheiro e se afundando em dívidas. O exemplo de uma mulher batalhadora, que se recebesse uma chance, brilharia de forma incrível! 
Quando ela finalmente resolve lutar por si mesma, acredito que ela teve o final perfeito. Foi viver, experimentar, sonhar, amar e viajar. Testar o mundo antes que suas pernas ficassem fracas demais de tanto trabalhar. Ela foi fazer algo que nunca havia se permitido antes: sonhar.
Hello My Twenties não poderia ter vindo em melhor hora para mim, no auge dos meus vinte e alguns anos. É divertido, sexy, engraçadíssimo, inteligente, atual e refrescante. Interpretações maravilhosas, com mensagens sobre amizade verdadeira, coragem, força de vontade. O que é a liberdade e como lidar com os problemas normais de nossos vinte e poucos anos; aprender a ser adulto nesse mundão de cada dia.
Estou realmente ansiosa para a segunda temporada de Hello My Twenties, poder descobrir o desfecho dessas incríveis jovens mulheres e espero que essa venha ainda mais carregada de lições. Ah e não se esqueça: você é mais forte do que seu próprio fantasma.
Hello My Twenties

TWENTY 스물 – CRÍTICA :

TWENTY 스물 – Uma comédia coreana maravilhosa!

Twenty é uma das primeiras críticas sobre k-movies aqui no site – devo admitir que doramas são uma paixão obscura minha, assisti ao trailer  e fiquei curiosa, justo porque tem Woo Bin, um dos meus atores coreanos favoritos. Desde os primeiros minutos de Twenty não consegui parar de rir. É sensacional, irônico, sujo, pastelão, romântico a sua maneira, e ainda surpreendente.   

Chi Ho, um playboy que nada faz da vida além de trair sua namorada e ficar no sofá olhando pro nada, não se preocupa com dinheiro, trabalho ou seguir um plano de vida, é aquele que sempre está discursando sobre “ainda temos tempo”. 

Twenty k movie dorama crítica

Mas uma reviravolta acontece, ele se apaixona e tem seu coração partido, justamente por uma garota que faz ele pensar na vida e nas questões que o cercam, não existe um aprofundamento dentro desse arco, é apenas algo natural que acontece ao personagem de forma sutil, ele amadurece a sua maneira.

Pensei que a história do personagem seria o centro do filme, já que o ator é um dos favoritos da Coreia no momento, mas não, ele tem seu arco próprio com um roteiro divido. Cada um deles tem um tempo de dela muito bem medido para que possamos nos identificar, aproximar e relacionar cada personagem. 

Twenty k movie dorama crítica
Kyung Jae é o, digamos assim, o ponto de equilíbrio do grupo, nem o aventureiro e nem o sonhador, ele só quer arrumar uma namorada e conseguir um trabalho estável na vida.
Mas seus amigos o tiram constantemente desse caminho de uma maneira extremamente divertida e compensadora. Seu coração também é partido pelas expectativas, a cerca de um amor não correspondido e ele começa a perceber mais as coisas a sua volta.
 
 Twenty k movie dorama críticaDong Woo, o sonhador cartunista é o que, durante o filme, parecer ter uma vida muito mais difícil, família grande e pobre e ele mesmo vive em uma situação financeira não muito boa, mas insiste em perseguir seu sonho.
Durante o filme, conforme a vida vai se chocando com sua vontade ele percebe que nem tudo é pra ser . Assim começa a ponderar suas responsabilidades.
 
Os três amigos não se desgrudam, dando apoio até mesmo nas loucuras ou nos momentos mais pesados e desconfortáveis. E mesmo Chi Ho bancando o tão mais independente em relação a suas emoções, os três se completam de uma forma verdadeira.
Existe o dilema da idade e da ideia de responsabilidades que devemos assumir no decorrer das nossas vidas. Até mesmo a forma que adiamos isso o máximo que pudermos. Mas não é um fugir e sim perceber o porquê de estarmos encarando essas responsabilidades. Não deixarmos as amizades de lado, o que é verdadeiro e nossos sentimentos para trás. Mas nos atermos a eles para que ganhemos força no processo.  E o elemento chave desse filme é a amizade. O que se passa e  o que se faz não importa, a amizade sempre fica.  
Twenty valeu a pena e até me fez sentir mais normal em relação as minhas amizades.  Se você já é um dorameiro – como eu – ou acostumada (o) com a cultura coreana pelos doramas vai amar, por todos os motivos. Se não e quer conhecer mais, comece por esse filme.