LINK PERDIDO (animação 2019) – CRÍTICA:

Em Link Perdido somos apresentados a lenda do Pé Grande de uma forma bem doce e divertida. Com referências a Atlantis e até as histórias de Alan Quatermain, essa animação do Estúdio Laika eleva a qualidade da animação stop motion que tanto cativou o público, desde Kubo.

 Link Perdido

Sir Lionel Frost é divertido, inteligente e consegue cativar o público apesar de sua natureza arrogante, típica de um explorador britânico. A dublagem brasileira está ótima n, no ponto certo em captar a essência do personagem. Comparando a dublagem original, pouco se perde.

O então Mr. Link a.k.a Susan é a chave do coração para este filme. Um personagem divertido de assistir. O trabalho de construção e modelagem dos personagens captura muito bem a natureza doce e selvagem do excelente Pé Grande. A relação entre os personagens é dinâmica e não perde o tom da amizade que nasce entre Sir Lionel e Mr. Link.

 Link Perdido

Cada pequeno detalhe, como as costuras do tecido, os efeitos especiais captando a majestosidade do trabalho em stop motion, faz valer a pena cada segundo deste filme nos cinemas.

Infelizmente, não podemos deixar de notar as falhas em construção do roteiro. Link Perdido se confunde nas mensagens e moral final dessa história. Para um público mais velho, a animação irá ser algo enfadonho de assistir, pois conversa utilizando infinitas linguagens, com ideias sobre amor próprio, liberdade, amizade… Mas será um acerto para o público infantil, por se comunicar de forma dinâmica e divertida.

 Link Perdido

De uma forma geral Link Perdido é mais um acerto do Estúdio Laika, voltado exclusivamente para o público infantil em um primoroso trabalho de animação.