CINDERELA POP (2019) – CRÍTICA:

Cinderela Pop – Uma divertida releitura do clássico conto

A leva de filmes com roteiros adaptados de livros teen têm crescido no Brasil nos últimos anos. Só de 2015 para cá tivemos Tudo Por Um Popstar; Fala Sério, Mãe; É Fada e Meus 15 anos. Mais e mais autoras nacionais fazem sucesso entre os adolescentes. E o mercado audiovisual acompanha o ritmo. Lançado em fevereiro, Cinderela Pop segue portanto essa linha e faz uma engraçada e divertida releitura do clássico conto de fadas.

Cinderela Pop

O filme segue a história de Cíntia (Maísa), uma adolescente que sonha em se tornar DJ profissional. Com a separação de seus pais, ela ganha uma madrasta malvada (Fernanda Paes Leme) e duas irmãs postiças (Letícia Pedro e Kiria Malheiros). Elas fazem de tudo para atrapalhar seus objetivos. Diferente do original, em que as doze badaladas marcavam o fim do baile, a meia noite aqui marca o fim do seu set como DJ. E a volta a sua realidade como adolescente normal.

O mais divertido para mim foi ver a maneira como Cinderela Pop se conectou com a realidade dos adolescentes de um jeito inteligente e fora do comum. A protagonista é dona de si. Forte e moderninha, como podemos dizer. Diferente da releitura da Disney nos anos 2000, imortalizada no clássico, A Nova Cinderela com Hilary Duff como a principal. Não senti um peso tão grande na parte dramática. Sobretudo gostei que os pais não estivessem mortos, como geralmente é contada a história. Eles na verdade têm um papel central, e a relação de Cíntia com sua mãe é muito bem explorada.

Cinderela Pop

As atuações são boas e convincentes. Para quem conhece e acompanha o trabalho da Maísa, pode rolar a impressão de que ela interpretava a si mesma. O que não é um super problema afinal complementa a personagem. O príncipe Freddy Prince foi interpretado por Felipe Bragança (Eu Fico Loko) e sua prima e fiel companheira ficou a cargo de Giogava Grigio (Eu Fico Loko, Chiquititas).

Com direção de Bruno Garotti (Tudo Por um Popstar), Cinderela Pop tem o roteiro assinado por Bruno Garotti, Flávia Lins Marcelo Saback. Paula Pimenta, autora do livro homônimo que inspirou a obra também faz participa da criação. Recentemente inserido no catálogo da Netflix, já está disponível no Brasil e em diversos países.

MISTÉRIO NO MEDITERRÂNEO – CRÍTICA:

MISTÉRIO NO MEDITERRÂNEO – A volta de Adam Sandler raiz!

Adam Sandler está de volta e com ele todo seu humor. Após uma série de filmes com pouca aceitação do público e dos críticos de cinema o ator finalmente renovou seu olhar sobre o gênero de comédia. Adicionando camadas de mistério, assassinato e muitos estereótipos, principalmente os ligados a relacionamento à dois. Mistério no Mediterrâneo é a mais nova produção Original Netflix sob a direção Kyle Newacheck.  Que conta também com a presença da atriz Jennifer Aniston.  Reafirmando a química existente com Adam Sandler tendo em vista que a dupla já atuou no filme Esposa de Mentirinha.

Em Mistério no Mediterrâneo acompanhamos o policial Nick Spitz (Adam Sandler) que persiste em realizar o testes para se tornar detetive e assim alcançar sua tão sonhada promoção. Algo que mantêm escondido de sua esposa Audrey Spitz(Jennifer Aniston). Uma cabeleira aparentemente feliz com seus 15 anos de casamento. Porém reprime uma grande frustração. Já que a promessa de viagem de Lua de Mel à Europa ainda não passa de planos que não foram realizados mesmo após anos de casamento.

Um jantar comemorativo entre amigos começa a trazer a tona questionamentos que causam uma tensão no casal Nick e Audrey. Parte sobre a prometida viagem à Europa, e parte por Nick esconder de Audrey que ainda não passou na prova de detetive. O casal possui uma química incrível. Mostrando a maturidade ao lidar com diferença de opiniões utilizando muitas vezes o humor.

Mistério no Mediterrâneo

Além de brincadeiras internas que suavizam as tensões da vida à dois e com pequenas brigas. Como por exemplo a compra do remédio errado só por ser 50 centavos (50 cents) mais barato. Ou pela obsessão em higiene do outro. Nick é um marido atencioso e dedicado. Que percebe que a viagem à Europa pode ser algo que vai desestabilizar a vida do casal de forma econômica. Mas que é algo necessário para mostrar seu amor por Audrey.

Saindo do cenário de Nova York e partindo para o continente Europeu Mistério no Mediterrâneo começa a ganhar suas camadas de mistério. Sem abrir mão da comédia, ao serem apresentados ao elegante e charmoso Charles Cavendish (Luke Evans).

Mistério no Mediterrâneo

Que de forma inusitada convida o casal para participar de sua reunião de família que será realizada no iate de seu tio milionário Malcolm Quince. Audrey fica extremamente entusiasmada com o convite, porém Nick já possuía planos para o casal. Mas acaba sendo convencido por sua esposa e assim embarcam em uma viagem pelos mares europeus em meio a luxo, intriga familiares e um misterioso assassinato.

Mistério no Mediterrâneo é uma comédia que interage de forma harmoniosa e descontraída com gêneros diversificado. Sem perder o foco no humor. Revelando uma fotografia charmosa e convidativa e apresentando um roteiro que mais parece ser uma quebra da 4ª parede. Já que Audrey e Nick possuem diálogos que muito se assemelham ao de qualquer espectador ao assistir um filme de mistério policial.

Mistério no Mediterrâneo

Mistério no Mediterrâneo surpreende por trazer um olhar mais cotidiano sobre seu oposto. A interação entre Adam Sandler e Jennifer Aniston é o auge de todas as cenas. Fazendo do filme uma ótima opção para assisti. E podendo ser considerado um dos melhores trabalhos de Sandler nos últimos anos.