artigo

TOP3 – SHAKESPEARE SUNDAY

A poesia teatral de Shakespeare é algo que misteriosamente sempre me atraiu, como a língua irônica de um amante que sussurra em meu ouvido palavras repetidas que me hipnotizam ao prazer. Shakespeare consegue elevar a minha alma.
 
Hoje, neste domingo 26 de novembro, temos o “Shakespeare Sunday”, um dia para celebrarmos essa mesma poesia de que tanto sou apaixonada por. Por isso, separei 3 filmes que considero as melhores adaptações das peças deste mestre dramaturgo da lingua inglesa, ovacionado até os dias de hoje.
 
  • ROMEO AND JULIET –  Franco Zeffirelli – 1968

 
 “Na justa Verona … uma rosa por qualquer outro nome … essas delícias violentas … então com um beijo eu morro”. 
 
Assisti esse filme quando ainda estava com meus quatorze anos. Em uma vez, mal lembrada, passou na Sessão da Tarde e minha mãe me motivou a assistir. Me grudei na televisão e fiquei tão apaixonada pela forma como o trabalho de Zeffirelli foi realizado, que sai em uma caça cega ao DVD para sempre tê-lo comigo. Até hoje está na minha lista fixa do meu top10 de filmes favoritos. Muitos não o levam a sério por o que pode hoje ser uma história banalizada ou até mesmo carregar motivos suficientes para uma constate problematização, mas esqueça isso, aprecie a poesia apenas uma vez, em sua verdadeira forma e você vai entender o que eu estou dizendo.
 
Tenho um problema com as adaptações de Romeu e Julieta (e tudo o que se inspira com isso). É difícil alnçar a intenção origina do famoso trabalho de Bard. Veja, Romeu e Julieta não é, de modo algum, uma obra original. Na verdade, é um “remake” de um antigo conto italiano que foi adaptado em forma literária para os ingleses em torno do tempo de Shakespeare, e Shakespeare fez sua própria versão.
 
Então, o que Shakespeare mudou? Duas coisas…CONTINUE LENDO
  • SONHOS DE UMA NOITE DE VERÃO

 

Em uma trama que para muitos pode parecer confusa, Shakespeare fala sobre corações partidos, esperança e o amor iludido nessa incrível comédia de um humor amargo. O Oberon de Rupert Everett é sexy, romântico e impossível. O Conde, Senhor e Rei dos Duendes e das criaturas da terra é sórdido, sonso e está sempre disposto a uma boa brincadeira. Everett retirou toda a “seriedade” cômica de Shakespeare e a levou para um nível onde, com seu diálogo pesado, explica que suas intenções, por mais sujas que possam parecer, sempre estão a disposição de ajudar aqueles de coração partido. Elegância e circunstância. Meu tipo de anti-herói romântico favorito. 
Michelle Pheiffer se encaixa perfeitamente como Titânia pelo seu olhar. Existe algo nessa atriz, que já interpretou diversos personagens icônicos, que nos carrega sem medo para dentro dessa incrível e mágica atmosfera que existe na direção de Michael Hoffman. Essa autoridade encantadora… CONTINUAR LENDO
  • MACBETH

Estourando com energia, ameaça e reforçando o medo de todo o diálogo tradicional necessário, o Macbeth de Kurzel traz uma das adaptações mais viscerais e maravilhosamente realizadas do conto da Escócia na história cinematográfica. Os set designs foram excelentes, a trilha sonora foi absolutamente estelar, e Fassbender e Marion Cotillard se misturam melhor do que o óleo e vinagre. Esta adaptação assalta incansavelmente os olhos com um desfile glorioso da cinematografia sem parar, nunca desapontando os olhos com os escopos e frames de impressionar.  
 
Cada momento é tão inesquecível como o próximo, construindo seu impulso até que ele traga o público de volta para uma conclusão completamente fascinante. Um filme bonito em todos os sentidos. Justin Kurzel tomou uma das histórias mais conhecidas do mundo e deu-lhe mais profundidade e gravitas do que eu pensava possível. Mesmo as sequências de batalha sangrentas e os assassinatos brutais são entregues com um peso que é representativo do poder emocional da história. Esta é uma tragédia em todos os sentidos da palavra e Kurzel trata isso como tal, mesmo nos momentos que fica claro terem sido pensados para uma visão mais blockbuster do que parece… CONTINUE LENDO
Esse top 3 foi realizado especialmente para comemorar o #ShakespeareSunday, com o melhor das adaptações desse dramaturgo maravilhoso que até hoje nos encanta. 

Sobre o Autor

Dandara Aryadne
Pseudo escritora, artista plástica nas horas vagas. Criadora e colunista principal do site Cinema ATM.

Deixe seu comentário


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *