critica

A Torre Negra – Um bom filme de ação. Apenas.

Eu tenho ouvido sobre os planos para adaptar a série The Dark Tower de Stephen King por cerca de 10 anos e nada realmente saiu dessas negociações até hoje. Ele foi parar nas mãos de J.J. Abrams, Damon Lindelof e Ron Howard, antes que o cineasta dinamarquês Nikolaj Arcel finalmente vestisse a capa de diretor. Foi passado pelas mãos da Universal quanto da Warner Bros; até que a Sony Pictures adquiriu o projeto em abril de 2015. Além de Baby Driver e Spider-Man Homecoming, 2017 não foi amável com a Sony.
Roland Deschain (Idris Elba), o último Gunslinger, está preso em uma batalha eterna com Walter O’Dim (Matthew McConaughey), também conhecido como Man in Black. O Gunslinger deve impedir o Homem de Preto de derrubar a Torre Negra, a chave que mantém o universo unido. Com o destino dos mundos em jogo, dois homens colidem na batalha final entre o bem e o mal.
Meus sentimentos sobre este filme são complicados. Por um lado, é um filme de ação / aventura autônomo bastante divertido, mas os fãs da série de livros da Dark Tower não vão ficar felizes.
Começando as coisas com os aspectos positivos, adoro o elenco. Independente do material de origem, qualquer filme que seja estrelado por Idris Elba e Matthew McConaughey exige minha total atenção. Para deixar bem claro, nunca li o material de origem, então não tenho ideia de quão perto as suas imagens são para seus respectivos personagens. Tudo o que posso julgar e o que vi na tela, e o que eu vi foi bem legal. (ressaltando, apenas legal). McConaughey dá uma performance muito subjugada, mas muito arrepiante, como o Homem de Preto, a versão moderna do diabo. É divertido vê-lo interpretando um um vilão, o que honestamente não está muito longe de alguns de seus outros papéis. Quanto a Idris Elba, ele nasceu para ser o herói, e um personagem como Roland se encaixa perfeitamente com o trabalho do ator. Este filme apresenta o mundo para Tom Taylor, que está fazendo sua estréia interpretando Jake Chambers. Certamente há espaço para melhorias, mas vejo potencial neste garoto.
A premissa geral é simples, mas eficaz. É uma narrativa simples, bem versus o mal, coisa que já estamos acostumados a assistir de tempos em tempos e tudo bem até aqui. Eu seria um pouco mais indulgente se este fosse um filme autônomo, uma vez que a história só existe para mover nossos personagens do ponto A para o ponto B e para fornecer contexto para as cenas de ação, o que são bastante impressionantes.  Esta é a estréia do filme do diretor Nikolaj Arcel, e eu poderia vê-lo criando uma sólida carreira dentro do gênero de ação. Se a Warner Bros. ainda estiver procurando por um diretor para Suicide Squad 2, estaria mais do que disposta a dar-lhe uma chance.
Como já disse antes, este filme está bem como um filme autônomo, solto, mas nisso reside o problema fundamental: a Sony não pretende fazer um filme solto. A franquia Dark Tower tem uma mitologia rica, gerando 9 livros e mais de dezenas de quadrinhos publicados pela Marvel Comics. Então, por que diabos, este filme é definido APÓS os eventos do material de origem? Eles não percebem que, essencialmente, ignoraram todo o apelo deste universo? Isso é como se Warner fosse adaptar a franquia de Harry Potter, mas em vez de começar com a Pedra Filosofal, eles começassem com A Criança Amaldiçoada.
No que diz respeito ao tempo de execução, mais uma vez, para qualquer outro filme, isso não seria um problema. Mas para The Dark Tower, 95 minutos faz com que o enredo fique apressado, como se o filme já começasse a ponto de acabar. Você quase não tem tempo para explorar o universo, nem percebemos realmente os personagens além do que a trama lhes diz para fazer. Felizmente, existem alguns divertidos easter eggs de Stephen King espalhados por todo o filme, mas eles poderiam ter feito muito mais com a ideia do multiverso do autor.
Finalmente, porque eu gosto de terminar com um lado positivo, nunca irei aproveitar demais as contribuições musicais do Junkie XL. É uma pena que ele não esteja mais compondo a trilha para Liga da Justiça, mas pelo menos ele consegue fazer o que ele faz de melhor neste filme, que é adicionar essa pontuação extra às cenas de ação, fazendo com que elas pareçam realmente intensas e verdadeiras. Tirando isso? Sony, você precisa reaver suas escolhas.

Sobre o Autor

Dandara Aryadne
Pseudo escritora, artista plástica nas horas vagas. Criadora e colunista principal do site Cinema ATM.

Deixe seu comentário

2 Pensamentos sobre “A Torre Negra – Um bom filme de ação. Apenas.

  1. eu quero muito ver esse filme e como ainda não li os livros estou caindo quase de paraquedas nesse novo universo.
    eu particularmente vou vê-lo sem expectativas sabe? eu tento não me ligar muito pra tentar não me decepcionar nem nada. apesar pra aproveitar a história.
    é foda quando a empresa não dá a devida atenção a história e qndo vê a merda toda já tá mt grande pra consertar. tem q dar uma atenção legal pro background.

    1. Assim, tenta ver esquecendo que é uma adaptação e torcendo para os próximos serem melhores HAHAH – infelizmente é isso que temos que fazer, ainda mais quando é alguma adaptação de Stephen King =/
      Mas assista, Idris Elba tá maravilhoso!
      Obrigada pelo comentário e volte sempre <3


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *