UPGRADE ( 2018 ) – CRÍTICA :

UPGRADE – UMA FICÇÃO CIENTÍFICA EM AÇÃO E TERROR MUITO BEM FEITA

O roteiro de Upgrade se passa e um futuro próximo onde a tecnologia controla quase todos os aspectos da nossa vida. Grey (Logan Marshall- Green) é obscuro, não muito chegado a tecnologia. Ele trabalha como mecânico de carros antigos, para isso utiliza suas mãos e não usa muito o advento da Inteligência Artificial, que nesta realidade está praticamente em todo lugar. Desde carros que se guiam automaticamente, até casas inteligentes coexistem neste futuro próximo, ao nosso mundo atual.

Upgrade

Logo após um acidente ocorrido através de um assalto, Grey vê sua esposa ser assassinada, e é gravemente ferido, ficando tetraplégico. Sua única esperança de vingança é ser cobaia de um experimento tecnológico, onde um chip de inteligência artificial é inserido em seu corpo lhe dando habilidades físicas.

A trama de Upgrade mistura elementos de ação, terror e sci-fi. Escrito, dirigido e co-produzido por Leigh Whannell: a qual roteirizou Sobrenatural e Jogos mortais. E se acaso ele tenha um ponto forte, é saber trabalhar o filme muito bem com baixo orçamento. A produção incrível fica por conta da Blumhouse Productions e Goalpost Pictures Austrália.

Upgrade

Partindo dessa premissa, Upgrade é espetacular! Ótimo filme de ação que remete imediatamente aos filmes B dos anos 80. A estrutura do roteiro pode transparecer um clichê sobre vingança, mas não se engane… Pois a ambientação é demais. A tecnologia mostrada no filme, faz menção as quais já utilizamos no momento atual, porém, mais avançada. A trama é bem intrigante, visto que apresenta uma vibe depressiva, abordando uma crítica forte a sociedade contando a obsessão humana pela tecnologia. E como tal obsessão funciona como ferramenta para ajudar a contar uma história de horror. Onde a tecnologia é a responsável direta por nossa ruína.

 

“Se a medicina comprovasse que há um meio para melhorar seu desenvolvimento físico. Você faria algum implante mecânico; biomecânico ou robótico em seu corpo?”

Upgrade

As cenas de ação são gravadas com maestria. Mostrando ótimas coreografias estilizadas e absurdamente brutais. Logan, (nosso Tom Hardy genérico) está sensacional no papel. Tanto por conseguir transmitir pelo equilíbrio de tragédia que consegue entregar a Grey, quanto pela sua presença corporal. Após receber o chip que o cura, todos os seus movimentos se tornam robóticos e em cenas nas quais o computador assume, é possível ver seu corpo realizando uma ação enquanto seu rosto demonstra uma emoção completamente diferente. Pode se dizer que Upgrade é uma grande referência a Robocop e 2001 Uma Odisseia no Espaço.

Upgrade é uma agradável surpresa após a onda repulsiva que assolou o gênero de ficção científica em 2018. Visto que não é uma produção perfeita. Já que seu roteiro tem reviravoltas bem óbvias e diálogos expositivos. Mas a sua técnica e o seu conceito são bons e originais o suficiente para colocá-lo em um nível acima dos demais.

Upgrade

Upgrade é um deleite para aqueles que gostam do gênero de sci-fi de alta qualidade. A ação frenética, violência gráfica, tudo isto com o intuito de mostrar para o espectador que a tecnologia pode ser uma benção. Mas o seu potencial destrutivo pode se sobrepor a tudo, e se alto proclamar uma maldição para a humanidade. 


Sobre o Autor

Vitória Rapallo
Graduanda em Letras Inglês pela UFRRJ; Fascinada pela cultura japonesa e animes que tenham visual, leitora entre à prosa e a literatura clássica. Colecionadora de HQs e mangás, a qual me introduziram ao universo Geek. Resultando um deslumbramento por filmes do gênero gore e de terror psicológico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *